Diário da Gravidez – #36 Semanas – Sobre Amamentação


Na semana em que eu decido pesquisar um pouco mais sobre o tema (lembrando que ainda não amamentei, estou ainda nas teorias) o tema da visita da minha doula foi exatamente o mesmo: amamentação.

Achei louco isso.. ou realmente estou no time certo das coisas ou foi uma coincidência muito grande.. ou as duas coisas, hahaha.

Dentre o que pesquisei e o que conversamos sobre, achei importante destacar e compartilhar:

  • O bebê vai buscar o peito, em último caso, para se alimentar

Essa foi a maior novidade para mim. E me senti extremamente grata pela informação. O peito é cuidado, aconchego, proteção, amor. E também alimento. Aprendi que nós, mamães, devemos ter paciência quando o bebê buscar o peito. Não necessariamente ele estará com fome.. às vezes quer somente estar coladinho com a mamãe.. quer estar sintonizado com a sua base. Lembre-se que tudo o que ele conhece é você e pode se sentir perdido sem a sua presença.

  • Bicos artificiais confundem o bebê

Chupetas, bicos de silicone, mamadeiras.. já tinha definido que não daria chupeta para a Alice. Uma opção minha porque, na minha cabeça, você já institui na criança ter manias e hábitos nos seus primeiros dias de vida. Minha opinião, ok? Se você pensa diferente, nada contra. Apenas para minha filha, sigo com minhas convicções. Para mim, a chupeta é um “cala boca”. O bebê vai chorar e a chupeta vai significar: xiiiiiuuuu.

Uma coisa é fato: o bebê vai chorar! Mas eu quero entender o por que chora.. não quero apenas que se cale.

Além dessa questão, as formas de sucção dos bicos são bem diferentes e confundem o bebê. O ideal é que nos primeiros 30 dias, pelo menos, ele fique somente no peito para aprender a mamar direitinho e evitar desistências no processo da amamentação.

  • estar presente na amamentação

Na linha do que falava acima, a comunicação com a mamãe e o bebê é feita de muitas formas. A amamentação é uma delas, acredito que a mais especial. Na yoga, trabalhamos muito o estar presente nas situações, por inteiro.

Não é recomendado que se amamente assistindo TV, falando com outras pessoas ao celular ou até mesmo conversando com outras pessoas que não estejam envolvidas no processo.

A hora de amamentar deverá ser um momento de troca: de olhares, de sentimentos, de conversas entre a mamãe e o bebê. Desligar-se de outros aparelhos e temas é fazer desse momento muito mais especial do que ele já é. Caso tenha mais pessoas em casa, peça licença e procure um lugar tranquilo para o momento. Se estiver com o papai, o inclua.

  • A pega correta

A pega correta do bebê é importante para evitar que ele se canse demais durante a mamada.. e para que não machuque a mamãe neste processo.

Assisti esse vídeo aqui com boas dicas que achei bastante interessantes:

  • Livre demanda

A recomendação de anos atrás era ter escala de hora para amamentar. A cada 3 horas, durante 15 minutos.. enfim.

Hoje a recomendação é que o bebê mame em livre demanda. Ele não é um reloginho e não tem hora certa para mamar. Até porque, como falamos acima, nem sempre é fome, correto?

É um período que vai demandar bastante da mamãe e talvez muitas não tenham paciência. Por essas e outras é importantíssimo a gestação no momento correto, num momento esperado, desejado e que a mamãe possa se dedicar inteiramente ao bebê e viver cada fase com a intensidade que um momento tão especial como esse requer. Se você estiver lendo este post gestante, espero, de coração, que você esteja neste momento dedicado de suas vidas.

E que busquemos conhecimento sempre para vivermos as melhores experiências.

Esse post não tem a intenção de julgar quem fez/faz diferente, muito menos dar pitacos. Mas despertar você, assim como despertei quando me deparei com os temas acima. Talvez façam TODA a diferença na vida de vocês. Conhecimento é sempre bem vindo. 

Link post: Erros + Comuns e Como Evita-los

Um super beijo e até o próximo post 😉

Anúncios

Diário de Gravidez – 35 Semanas


Fui além das opiniões e decidi ser uma mãe tranquila, calma e confiante. E assim estamos até o momento.

Ouvi dizer que teria muita fome, dores, que engordaria, que não dormiria direito, que o parto natural é loucura, que eu sonharia com o parto e me desesperaria em pensar como ela vai sair daqui! E a dor? E o medo de não dar conta? De não dar certo? De não amamentar?.. E quando comento algo, escuto de volto o famoso “se der tudo certo, né?”.

Que nos últimos meses o desespero e a ansiedade bateriam e cada semana seria como meses.

Não, definitivamente não é assim pra mim. Pra nós.

Sigo emocionalmente tranquila e muito confiante.

Li/ouvi relatos de partos perfeitos, outros dolorosos. Nenhum deles me abala. A única coisa que de fato acredito, é que teremos a experiência que tivermos que ter. Será para o nosso aprendizado e crescimento.

Sigo me preparando, me conectando com ela a cada instante.

Sigo, cada dia mais, pronta para o nosso momento. Quando você estiver, eu estarei, minha pequena.

Quero que você absorva essa leveza e tranquilidade emocional para sua vida.

A vida que eu me sinto honrada em viabilizar a você.

Não tem certo e errado, filha. Existe o nosso nível de consciência.

Tenho certeza que você virá muito mais evoluída que a mamãe… e a mamãe a cada dia se esforça para crescer mais um pouco, assim estaremos mais e mais alinhadas, evoluindo a cada dia.. como deve ser.

Às mamães que estão lendo este texto, sigam sempre seu coração e sua intuição. Somos natureza.. e a gestação é um ótimo momento para agirmos como tal. Saindo um pouco do mental e ir de encontro com o sentir. Apenas sentir.

Hoje completamos 35 semanas.. já sinto falta desse barrigão lindo! Estamos quase lá.

Um super beijo e até o próximo post 😉

Novembro..


Voltando renovada de Fortaleza-CE, onde comemoramos nosso 4o. aniversário de casamento.

Novembro é o mês em que a mamãe, o maninho, a cunhada e a sogra celebram mais um ano de vida. A empresa, 10 anos! Aqui no Brasil isso é muito gratificante. Maridão mandando super bem e agora tem a parceira aqui agregando 🙂

A Alice entrará em nosso 7o. mês de gestação e este mês nós vamos espiar ❤ Mega ansiosa para o próximo ultrassom.

O Digo e eu, comemoramos 16 anos de muita cumplicidade, desde o nosso primeiro encontro, lá em 2001.

Mês em que enfeitamos a casa para o Natal. Começamos a fechar os números deste ano e a programar o novo ano.

Estou feliz e animada. Que possa ser um mês tão abençoado, produtivo e animado como já esperado. No que depender de mim, assim será!

E quais as expectativas para o novo mês e ano que se aproximam? Animados?

Foto antiga: Antes de estar esperando minha pequena 🙂

 

Um super beijo e até o próximo post!